Autoplay

domingo, 11 de setembro de 2011

Descobertos no Tibete fósseis de grandes mamíferos da Idade de Gelo

Restos mortais foram encontrado em Zanda, na cordilheira do Himalaia.
Achados foram divulgados na última edição da revista 'Science'.

Da Agência EFE
Alguns dos antepassados de grandes mamíferos como o rinoceronte lanudo, animal característico da Idade de Gelo, foram encontrados na bacia tibetana de Zanda, situada na cordilheira do Himalaia, e sugerem que a primeira evolução destes animais pôde ter acontecido nesta região geográfica.

Segundo informa nesta segunda-feira a imprensa local, a equipe responsável pela descoberta, comandada pelos pesquisadores Deng Tao e Wang Xiaoming, pertencentes à Academia de Ciências Sociais da China, assegurou que o animal achado pôde ter vivido há 3,7 milhões de anos.
Se a datação estiver correta, este antepassado do rinoceronte lanudo, chamado Coelodonta thibetana, mostraria as primeiras adaptações ao frio em um animal destas características, tais como o pelo longo e as estruturas para varrer a neve.
Ancestral de rinoceronte usava chifre para revirar a neve e encontrar comida. (Foto: Julie Naylor / Science / Divulgação) 
Ancestral de rinoceronte usava chifre para revirar a neve e encontrar comida. (Foto: Julie Naylor / Science)
Segundo os cientistas, este animal se situa em algum ponto entre o Plioceno médio (há 3,7 milhões de anos), era na qual apareceu o primeiro hominídeo reconhecível, o Australopiteco, e o Pleistoceno (há 2,8 milhões de anos), período no qual numerosas espécies se extinguiram devido às glaciações.
Após a descoberta deste exemplar de rinoceronte lanudo, os pesquisadores continuam com os trabalhos neste campo, já que se acredita que o animal poderia não ser o único mamífero adaptado à esta era na região tibetana.
Segundo Deng Tao, poderia se afirmar que o rinoceronte lanudo, da mesma forma que outros como o mamute lanudo, "evoluíram pela primeira vez no Tibete", hipótese que desloca algumas anteriores, as quais afirmavam que esta fauna se originou em zonas árticas.
No entanto, até o momento não foram encontrados restos que permitam afirmar de forma conclusiva qual seria a origem destas espécies já que, embora a descoberta feita no Tibete mostre os representantes mais primitivos, se sabe que existem vários períodos anteriores, mas, por enquanto, com poucas evidências.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.