Autoplay

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Morfologia do fruto

O ovário de uma flor que contém sementes. O pistilo dos carpelos componentes do mesmo costuma desaparecer durante o amadurecimento, após a polinização. A casca dos frutos é constituída pela parede dos carpelos. Frutos existem somente nas angiospermas e não nas gimnospermas. Muitos frutos abrem-se depois de certo tempo, largando as sementes através de aberturas especialmente produzidas para tal fim: são os frutos deiscentes. Outros não liberam as sementes, a não ser por apodrecimento do ovário, são os frutos indeiscentes.
Tanto os frutos deiscentes como os indeiscentes são classificados pela consistência da casca e o número de carpelos componentes. Os frutos com casca carnosa, coriácea ou fibrosa chamam-se frutos carnosos. Frutos com casca lenhosa, paleácea chamam-se frutos secos. A deiscência, a consistência da casca e o número de carpelos componentes são os característicos nos quais se baseia a descrição e classificação dos frutos. A forma externa, isto é, seus contornos, somente poucas vezes entra em consideração neste assunto.
Os principais tipos de frutos secos são:
  • Aquênio – fruto indeiscente formado por um único carpelo com uma só semente. A casca é geralmente dura, lisa e dotada, às vezes, de excrescências em formas de espinho, etc.
  • Bolota – aquênio dotado duma cúpula, pode ser originado do cálice ou do eixo floral.
  • Cariopse – Aquênio especial, em que a casca da semente se encontra concrescida com a casca do fruto, formando uma unidade que não se separa.
  • Folículo – fruto seco deiscente, oriundo de um gineceu apocarpo. Cada carpelo forma um fruto isolado que se abre por uma fenda ventral e contém uma ou várias sementes.
  • Cápsula – fruto seco deiscente, formado por vários carpelos sincarpados. Abre-se por fendas externas ou por fendas entre os septos separadores ou por ruptura dos septos. Há também as que se abrem por um poro em cada carpelo. A cada pode ser unilocular ou plurilocular.
  • Legume ou Vagem – fruto seco deiscente. Consta de um único carpelo com uma ou várias sementes. Abre-se por duas fendas que seguem as suturas dorsal e ventral. A casca do fruto dividi-se em duas valvas.
  • Síliqua – Difere da vagem por ser formada por dois carpelos, separados por um septo, no qual estão as sementes.
  • Pixídio – Cápsula de tipo especial, cujos carpelos se abrem por uma tampa comum.
  • Sâmara – Fruto seco deiscente ou indeiscente, munido de uma ou várias asas membranáceas. Pode ser derivado duma cápsula ou duma vagem.
  • Lomento – Vagens e síliquas articuladas que se destacam em pedaços monospérmicos em vez de se abrirem de maneira normal. Também se denominam vagens lomentáceas ou síliquas lomentáceas respectivamente.
Os frutos carnosos podem ser:
  • Bagas – formadas por um ou vários carpelos sincarpados com vários caroços que contém uma semente. Deiscentes ou indeiscentes.
  • Drupas – Formadas por um ou mais carpelos sincarpados que contém uma única semente dentro de seu único caroço duro. Geralmente a casca apresenta três camadas: Epicárpio, mesocárpo e endocárpio.
E existem também os pseudofrutos que têm uma origem diferente, não se desenvolvem do ovário. Os pseudofrutos podem ser:
  • Simples – Provenientes do desenvolvimento do pedúnculo ou do receptáculo de uma flor só.
  • Compostos – Provenientes do desenvolvimento do receptáculo de uma única flor, com muitos ovários. Como o morango.
  • Múltiplos ou infrutescências – Provenientes do desenvolvimento de inflorescência. Como a amora, o abacaxi e o figo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.