Autoplay

terça-feira, 20 de março de 2012

Após 21 anos, raro exemplar de lince aparece em floresta dos EUA

Ameaçado, espécime de lince-do-canadá foi descoberto na região de Idaho.
É a primeira vez desde 1991 que animal aparece em área de floresta.

01/02/2012 10h55 - Atualizado em 01/02/2012 12h35

Um exemplar de lince-do-canadá (Lynx canadensis) foi visto na última semana, pela primeira vez em 21 anos, em uma região de floresta de Idaho, nos Estados Unidos.
O animal, que corre perigo de extinção, foi capturado em uma armadilha na Floresta Nacional Salmon-Challis.
A última vez que um exemplar desta espécie havia sido observado na região, que tem 43 mil km² de área de floresta, foi em 1991, quando um animal ficou preso acidentalmente em outra armadilha. Em 1996, o estado registrou o aparecimento do lince, mas em outra região.

Segundo Tom Keegan, gerente regional do Departamento de Caça e Pesca de Idaho, a ocorrência foi muito rara. Ele disse que um homem passeando com seu cão viu o felino preso na última quinta-feira (26), que foi libertado em seguida, sem ferimentos.
Imagem de arquivo do Departamento de Pesca e Caça dos EUA mostra exemplar do lince-do-canadá em floresta do país. Na última semana, depois de 15 anos, um espécime apareceu em parque florestal estado Idaho. (Foto: Governo dos EUA/Reuters)Imagem de arquivo do Departamento de Pesca e Caça dos EUA mostra exemplar do lince-do-canadá em floresta do país. Na última semana, depois de 15 anos, um espécime apareceu em parque florestal estado Idaho. (Foto: Governo dos EUA/Reuters)
 
Acredita-se que existam cerca cem espécimes de lince-do-canadá nas florestas de Idaho. Na década de 1990, a captura do lince foi proibida em 48 estados do país. Já em 2000, esta espécie foi considerada ameaçada de extinção. Raramente avistados, biólogos utilizam rastros e fezes para documentar sua presença.

Uma amostra de DNA foi coletada do animal para analisar se ele é um lince selvagem e adquirir conhecimentos sobre suas possíveis origens. Estes mamíferos podem viajar longas distâncias (centenas de quilômetros às vezes) em busca de comida.
*Com informações da Reuters e da MSNBC
 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.