Autoplay

quarta-feira, 18 de abril de 2012

10 fatos pouco conhecidos sobre lobos

Provavelmente nenhum outro animal terrestre foi tão importante para os seres humanos quanto o lobo. Eles eram deuses nas mitologias nórdicas, também amamentaram Rômulo e Remo, os fundadores de Roma. Mais importante ainda, o lobo foi o primeiro animal a ser domesticado pelo homem (embora certamente hoje nós preferimos seus parentes próximos, os cães, como bichinhos de estimação), um processo ainda envolto em mistério, que ocorreu mais de 10.000 anos atrás. Eles foram, ao mesmo tempo, nossos queridos amigos e inimigos mais terríveis, e ainda assim há muito que não sabemos sobre eles. Confira alguns fatos:
1 – Lobos negros não ocorrem naturalmente

Um estudo de 2008 da Universidade de Stanford descobriu que a mutação responsável pela pelagem preta ocorre somente em cães, assim lobos negros são o resultado de lobos cinzentos cruzando com caninos domésticos. A mutação é uma característica dominante, como o cabelo escuro em seres humanos, e é passada para a maioria da prole. Não é claro se o pelo preto beneficia os animais. Eles não parecem ser caçadores mais bem sucedidos, mas mostram uma acentuada melhoria na imunidade a determinadas infecções. Lobos negros são muito mais comuns na América do Norte do que no resto do mundo.
2 – Uma grande porcentagem de coiotes são na verdade híbridos de lobos

Em áreas onde os lobos foram em grande parte eliminados, coiotes têm prosperado. Ao longo dos últimos anos nos EUA, grandes populações têm se movido para o leste, em áreas suburbanas e até mesmo grandes cidades como Nova York e Chicago. Testes genéticos em 100 coiotes capturados no Maine revelaram que 22 tinham alguma ascendência de lobo. “Coilobos” são híbridos de coiote e lobo, geralmente maiores que os coiotes regulares e menores que os lobos, e extremamente astutos. Eles exibem um destemor da civilização humana, como os coiotes, mas parecem manter o instinto de caça em grupo e alto nível de agressão dos lobos.
3 – O canibalismo é comum entre os lobos

Os lobos são carnívoros extremamente oportunistas, que não perdem a chance de uma refeição. Vivendo em alguns dos terrenos mais rigorosos do planeta, eles às vezes são obrigados a comer os membros doentes ou feridos de seu grupo. Qualquer lobo que morreu é jogo justo. Lobos capturados em armadilhas devem ser rapidamente recuperados por caçadores ou serão dilacerados por outros lobos. Quando dois grupos de lobos entram em contato, muitas vezes se envolvem em uma batalha fatal, com os machos alfas sendo mortos. Lobos são até mesmo comidos por sua própria prole.
4 – Os lobos mais pesados podem se aproximar de 90 kg

Lobos aumentam exponencialmente em tamanho quanto mais longe estão do equador. Lobos dos trópicos não são frequentemente maiores do que cães de médio porte, mas os do extremo norte (Alasca, Canadá e Rússia) podem ter mais de 55 kg. O maior lobo já morto na América do Norte, no Alasca em 1939, tinha 80 kg. Na Ucrânia, um lobo ainda mais massivo foi morto: com 86 kg. Há relatos de espécimes com mais de 90 kg, machos alfa, presumivelmente, em áreas que possuem fonte de alimento estável.
5 – Lobos raivosos são extremamente perigosos

Embora os lobos não sejam um importante vetor da raiva, eles podem pegar a doença de outras espécies, como guaxinins e raposas. Ao contrário de alguns animais, que apresentam letargia e desorientação, os lobos experimentam quase imediatamente os sintomas agressivos da raiva quando contraem a doença. Um número significativo de ataques a seres humanos estão diretamente ligados à raiva. Tais incidentes têm diminuído ao longo dos anos, mas alguns ainda ocorrem. Embora existam tratamentos disponíveis para pessoas mordidas por animais raivosos, a propensão do lobo é morder perto da cabeça e do pescoço, e muitas vezes o vírus chega ao cérebro da pessoa antes que ajuda médica possa ser procurada.
6 – Lobos nas Américas são menos propensos a atacar os seres humanos do que em outras partes do mundo

Há muito poucos registros verificáveis de ataques de lobo nos EUA e no Canadá, mas na Europa e na Ásia, os lobos são muito mais “desagradáveis”. Relatos históricos indicam que mais de 3.000 pessoas foram mortas por lobos na França entre 1580 e 1830. Na Idade Média na Europa, estruturas especiais eram construídas ao longo das estradas para os viajantes se refugiarem de grupos de lobos. A Índia e a Rússia também são particularmente bem conhecidas por terem muitas vítimas de lobos. Durante a Primeira Guerra Mundial, os soldados rivais eram ocasionalmente forçados a se unirem para lutar contra lobos famintos atraídos pelo cheiro de sangue no campo de batalha.
7 – Lobos acham os cães deliciosos

Embora eles sejam intimamente relacionados (praticamente a mesma espécie) e possam facilmente cruzar, muitos lobos consideram os cães presas. Em uma luta, até mesmo cães grandes são facilmente vencidos, já que lobos de tamanho igual têm dentes maiores e uma mordida mais devastadora. Na Rússia, onde cães vadios tornaram-se um problema sério desde a queda do império soviético, a dieta dos lobos se baseou muito neles. Um único lobo pode atrair um cão para uma emboscada pelo resto da matilha, e só cães maiores e mais ferozes, como Pastores do Cáucaso, têm uma chance se defender.
8 – A peste negra colocou os seres humanos no menu dos lobos

A Peste Negra, que devastou a Europa na Idade Média, pode explicar grande parte da dinâmica tensa entre lobos e humanos. Com cadáveres empilhando de maneira mais rápida do que podiam ser enterrados ou queimados, era natural que lobos se banqueteassem com os mortos. Ao fazer isso, gerações inteiras desenvolveram um gosto por carne humana e, provavelmente, começaram a nos ver como presas. Sem dúvida, pessoas altamente supersticiosas começaram então contos como crenças já prevalentes de lobisomens, vampiros e outros.
9 – A mesma coisa ocorreu com a varíola

A varíola trazida para as Américas pelos colonizadores europeus teve um efeito devastador sobre os nativos. Sem contato com a doença no passado, seus sistemas imunológicos eram indefesos, e daqueles que a contraíram, 80 a 90% morreram. O naturalista sueco Peter Kalm, enviado para a América em 1748, registra que no período anterior à Guerra Revolucionária a varíola estava em um ponto particularmente devastador ao longo da costa leste. Percebendo uma refeição fácil, os lobos invadiam as aldeias indígenas, devorando os corpos dos doentes. Embora muitos nativos americanos reverenciem os lobos, eles também apresentam um medo saudável dos animais, especialmente em áreas arborizadas, onde um encontro com um lobo pode não ser muito amigável.
10 – Lobos comem suas presas vivas

Conforme relatado acima, os lobos comem quase qualquer coisa, mas suas refeições preferidas são os grandes ungulados (como veados e alces). Ao contrário dos ursos ou grandes felinos, os lobos não têm uma arma anatômica capaz de rapidamente matar esses grandes animais. Sendo assim, eles matam por atrito: o grupo todo ataca e corta as ancas e períneo do animal, rasgando suas pernas e intestino, até que a vítima cai de exaustão. Eles começam a comê-la imediatamente, mesmo que a presa ainda esteja viva (e permaneça assim por algum tempo).[Listverse]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.