Autoplay

domingo, 30 de dezembro de 2012

PÁLIDO PONTO AZUL

Pale Blue Dot é um livro escrito por Carl Sagan em 1994. Sagan foi inspirado pela fotografia da Terra, a 6,4 bilhões de quilômetros de distância, mostrando-a como um pálido ponto azul.
Nele Sagan coloca em questão a necessidade de nós humanos entendermos a raridade de recursos propícios à vida, demonstrando o quão pequeno é o nosso lar em um universo infinito onde não passamos de herdeiros temporários do nosso pequeno mundo que por acidente adquiriram a capacidade de destruir o mesmo.
Veja o que Carl Sagan escreveu em 1994 a respeito da nossa casa, nosso planeta Terra:
“Olhe o pálido ponto azul. É aqui. É a nossa casa. Isso somos nós. Ali estão todos que você ama, todos que você conhece, de quem já ouviu falar, todo ser humano que já existiu, que já viveram suas vidas. O compêndio da nossa alegria e sofrimento, milhares de religiões conflitantes, ideologias e doutrinas, cada predador e presa, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, cada jovem casal apaixonado, cada mãe e filho, pai, esperançoso, inventor e explorador, cada professor da moral, cada político corrupto, cada “superstar”, cada “líder supremo”, cada santo e pecador na história da nossa espécie, ali – num grão de poeira suspenso num raio de sol.
A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração de um ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes pouco distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa imaginada auto-importância, a ilusão de que temos uma posição privilegiada no universo, são desafiadas por este ponto de luz pálida.
Nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, em toda essa imensidão, não há nenhum indício de que a ajuda virá de outro lugar para nos salvar de nós mesmos. A Terra é o único mundo conhecido até agora para abrigar vida. Não há nenhum outro lugar, pelo menos no futuro próximo , para onde nossa espécie possa migrar. Visita, sim. Para assentamento, ainda não. Goste ou não, a Terra é o lugar onde nós fazemos o nosso teatro.
Tem sido dito que a astronomia é uma experiência de construção humilde e edificadora do personagem. Talvez não exista melhor comprovação da loucura das vaidades humanas do que esta distante imagem de nosso mundo minúsculo.  
Para mim, ela enfatiza a responsabilidade de nos relacionarmos mais bondosamente uns com os outros e de preservarmos e amarmos o pálido ponto azul, o único lar que conhecemos...a Terra!
Carl Sagan – 1994
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.