Autoplay

domingo, 12 de maio de 2013

Caçadores matam os últimos 15 rinocerontes de Moçambique

Do UOL, em São Paulo

Ampliar

Conheça animais ameaçados de extinção no planeta118 fotos

115 / 118
A população de rinocerontes está extinta de Moçambique, na África, após constatada a morte dos últimos 15 indivíduos que viviam no Parque Great Limpopo, que fica na fronteira do país com a África do Sul e o Zimbábue. Segundo os administradores da reserva ambiental, 30 dos seus guardas estão sendo investigados por corrupção, já que são acusados de colaborar com caçadores. Os chifres dos rinocerontes são presas valiosas por conta de suas ditas propriedades medicinais na cultura asiática - no mercado negro, cada quilo do osso pode custar até US$ 65 mil (cerca de R$ 132 mil) Koos van der Lende/Great Limpopo Transfrontier Park
 
Os rinocerontes estão oficialmente extintos do território de Moçambique, na África. Os últimos 15 animais que viviam no Parque Great Limpopo, que fica na fronteira com a África do Sul e o Zimbábue, foram encontrados mortos no mês passado – em 2002, a área de conservação ambiental tinha uma população de 300 rinocerontes.

Autoridades ambientais acusam os próprios guardas florestais da reserva de colaborar com os caçadores na busca pelos animais que eles deveriam proteger. Segundo os administradores do  Great Limpopo, 30 guardas já estão sendo investigados por corrupção e poderão responder judicialmente pelo crime.
Os caçadores promovem a matança por conta dos valiosos chifres dos rinocerontes, que valem mais que ouro no mercado negro. A presa é usada na medicina de países asiáticos, como China e Vietnã, por seus ditos efeitos de cura.
A busca sangrenta pelos chifres já causou, segundo levantamento de organizações não-governamentais, a morte de 180 do total de 249 rinocerontes de uma reserva na África do Sul só neste ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.