Autoplay

terça-feira, 22 de julho de 2014

Do Macaco ao Homem: exposição do Catavento registra evolução humana

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

7 milhões de anos que marcaram a trajetória evolutiva da humanidade serão reeditados na exposição permanente Do Macaco ao Homem, no espaço Catavento Cultural. A mostra, prevista para o final de março, exibirá a evolução da espécie humana através de réplicas fiéis de ossadas, ferramentas, artefatos de pedra lascada e objetos do cotidiano dos nossos ancestrais.

O grande objetivo do projeto é tornar disponível um extenso acervo de réplicas arqueológicas e transformá-lo em um museu de história natural na cidade de São Paulo, inexistente até então na capital. A exibição foi concebida em parceria com o arqueólogo e antropólogo físico Walter Neves, coordenador do Laboratório de Estudos Evolutivos Humanos do Instituto de Biociências (IB) da USP.
O laboratório, que se dedica ao estudo da evolução humana, já colecionava as peças há 20 anos, através de trocas com outras instituições e compra. É a maior coleção evolutiva da América Latina. “Sempre foi um sonho compartilhar o acervo com a sociedade”, ressalta Neves.
Para a exposição, réplicas em resina foram feitas a partir das já existentes, a fim conservar as peças da Universidade que são usadas para pesquisas do Laboratório. A mostra estava praticamente organizada, já que era prevista para ser exposta na Estação Ciência, espaço de divulgação de ciências da USP atualmente fechado para reformas.

Uma expedição na capital

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
A exibição foi montada no subsolo do Palácio das Indústrias, prédio histórico da instituição. O espaço teve que passar por grandes reformas para se adequar às normas de segurança, já que anteriormente não era acessível ao público. As arcadas e abóbadas trazem a sensação de aperto devido ao teto baixo e os tijolos aparentes transmitem um clima de exploração, como se os visitantes participassem de uma verdadeira expedição arqueológica.
O espaço foi dividido em módulos que podem ser visitados e compreendidos individualmente e não estão ligados por uma cronologia. Em cada seção, é possível vivenciar o desenvolvimento de uma especificidade: arcada dentária, locomoção, o conhecimento simbólico e a produção artística.
Os primeiros painéis trazem informações catalogativas que comparam o Homo sapiens a outros primatas próximos, como chimpanzés e gorilas. Há um expositor com a árvore evolutiva humana, apresentando e comparando crânios de ascendentes, Homo habilis e Homo erectus, e parentes próximos, como o Homo neanderthalensis.
De acordo com o professor, um dos módulos mais impressionantes traz a recomposição da face humana. É possível ter uma ideia aproximada do aspecto externo dos nossos ascendentes. A reconstituição é feita também com resina, a partir de imagens fornecidas por pesquisadores estrangeiros. No Brasil, não há estudos sobre a reconstrução da aparência de ancestrais humanos.
Ricardo Pisanelli, arquiteto responsável pela montagem da exposição, ressalta que “o público deve se chocar com a reprodução do funeral, é algo que eles nunca imaginaram”. O solo do ambiente foi escavado para simular uma cerimônia de sepultamento que ocorreu 28 mil anos atrás com um homem moderno, no solo que hoje conhecemos por Rússia. Dentro do buraco encontra-se sua ossada, que foi isolada por um vidro transparente sobre o qual os visitantes poderão caminhar. Nesse mesmo módulo, outras réplicas de representações artísticas estão dispostas, entre elas os famosos murais de pinturas rupestres das grutas de Lascaux e Chauvet na França
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A exposição está pronta e a inauguração está prevista para a segunda quinzena de março. A mostra promete interessar crianças, jovens e adultos e apresentar as novas descobertas da ciência evolutiva que se desenvolveu muito nos últimos 40 anos, quando foram encontrados muitos fósseis de hominídeos, principalmente na África.

O Catavento está situado no Palácio das Indústrias, antiga sede da Prefeitura, no Parque D. Pedro II, no centro da cidade de São Paulo, entre a Av. do Estado e a Av. Mercúrio.
Mais informações: site http://www.cataventocultural.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.