Autoplay

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Trilobitas

© Graham Cripps/Biblioteca de Imagens do Museu de História Natural de Londres
Os trilobitas ("três lobos") compõem uma classe de artrópodes característicos do Paleozoico, conhecidos apenas pelo registro fóssil. Com uma ampla distribuição pelo mundo, seu apogeu ocorreu durante o Cambriano e o Ordoviciano; as últimas espécies foram extintas no final do Permiano, há 250 milhões de anos.

Exclusivamente marinhos, os trilobitas possuíam um exoesqueleto feito de quitina. Esses organismos são assim chamados devido às três subdivisões longitudinais de seu corpo: um lobo central (lobo mediano) e dois laterais (lobos pleurais). Transversalmente, temos o céfalo (cabeça), o tórax e o pigídio (cauda). A cabeça possuía duas antenas delgadas, um par de olhos e uma boca ventral. O tórax alongado era constituído por muitos segmentos, cada um dos quais sustentava um par de apêndices. A espessa carapaça externa protegia o dorso, e era impregnada de carbonato de cálcio, o que permitiu aos trilobitas deixar abundantes fósseis. Com mais de 15.000 espécies, esses animais superam em número todos os outros tipos de criaturas extintas.
 
Ao longo do crescimento, os trilobitas sofriam várias mudas, descartando sucessivos exoesqueletos, tal como acontece com os artrópodes atuais. Em média, tinham de 3 a 10 cm de comprimento, mas algumas espécies chegavam a 80 cm. Na maioria, eram animais bentônicos, ou seja, que viviam no fundo oceânico, se alimentando de detritos; outros nadavam livres pela água e predavam pequenos organismos ou filtravam plâncton. Os trilobitas habitavam desde zonas pouco profundas, perto da costa, até profundidades de 300 m.
Classificação científica:
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Classe: † Trilobita

© Dr. Sam M. Gon III
Trilobitas do gênero Phacops
Boedaspis ensifer, do início do Ordoviciano, viveu na Rússia

Olhos de um trilobita

Os trilobitas foram os primeiros artrópodes, e seus olhos estão entre os mais antigos encontrados em representantes do reino animal. Havia dois tipos principais de olhos em trilobitas, cada um constituído por delicadas lentes formadas por cristais de calcita. Muitos tinham olhos holocroidais, que lembram os olhos compostos dos insetos. Mais de 15.000 lentes hexagonais apareciam unidas como as células de uma colmeia, cada uma apontada para uma direção ligeiramente diferente. Uma única córnea cobria todas elas. Estes olhos formavam imagens difusas de qualquer coisa que se movesse.
Outros trilobitas tinham olhos esquizocroidais, que tinham lentes amplas de forma arredondada. Cada lente tinha sua própria córnea e ficava isolada por uma esclerótica, uma membrana fibrosa entre as lentes. Os olhos esquizocroidais produziam imagens bem definidas dos objetos.
Olhos holocroidais e esquizocroidais são os mais comuns em trilobitas
Olhos holocroidais (à esquerda) são encontrados em quase todas as ordens de trilobitas. Olhos esquizocroidais (à direita) são encontrados em gêneros da ordem Phacopida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.