Autoplay

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Licófitas (Lycophyta)

Por: Marcus V. Cabral - 15/06/15


A Samambaia é uma pteridófita
A Samambaia é uma pteridófita.
 
A divisão Lycophyta é formada por uma ordem apenas, chamada Lycopodiales, sendo esta constituída por três famílias. Esta ordem é caracterizada pela presença de espécies que apresentam folhas micrófilas e ausência de raízes laterais originadas a partir da endoderme. As famílias que formam a ordem Lycopodiales são a seguir apresentadas e detalhadas de acordo com as suas características mais relevantes, precedidas pela caracterização da própria ordem.

Ordem Lycopodiales
- Esporófitos isosporados ou heterosporados;
- Folhas micrófilas;
- Esporófilos agrupados em estróbilos no ápice dos ramos ou dispersos ao longo da planta, não diferindo das folhas estéreis;
- Anterozóides (gametas masculinos) biflagelados, exceto na família Isöetaceae.

Trata-se de uma ordem com representantes encontrados em praticamente todo o globo terrestre, excetuando-se as regiões polares.

Família Lycopodiaceae

Família cosmopolita, formada por cerca de 450 espécies e que no Brasil está representada por três gêneros: Lycopodium, Lycopodiella e Huperzia. Em geral, os representantes desta família possuem as seguintes características:
- Esporófitos isosporados;
- Plantas terrestres (terrícolas) ou epífitas, com caules em geral apresentando ramificação dicotômica;
- Micrófilos cobrindo totalmente o caule;
- Esporângios reniformes, apresentando deiscência longitudinal;
- Esporófilos diferenciados (Lycopodium e Lycopodiella) ou não diferenciados (Huperzia).

Família Selaginellaceae

Família pantropical, formada por um gênero e aproximadamente 750 espécies. As principais características reunidas no exemplares desta família são:
- Plantas terrestres, prostradas e heterosporadas;
- Megasporângios reúnem geralmente 4 megásporos (200 a 600 µm);
- Microsporângios reúnem geralmente mais de 100 micrósporos ( 20 a 60 µm);
- Folhas apresentando lígula e geralmente heteromórficas;
- Esporângios situados em esporófilos bem diferenciados e reunidos em estróbilos.

Diferentemente do que ocorre em outros grupos de pteridófitas, observa-se no ciclo de vida das espécies pertencentes ao gênero Selaginella que o gemetófito inicia a sua germinação ainda no interior do megásporo, cuja parede posteriormente se rompe e o megagametófito emerge.

Trata-se de um tipo de germinação conhecida como endospórica. O megagametófito é clorofilado e da mesma forma que o observado no gametófito feminino, o masculino também possui germinação endospórica.

Alguns representantes da família Selaginellaceae apresentam adaptação para sobreviver a ambientes com suporte hídrico extremamente irregular, recebendo tal adaptação o nome de poiquiloidrismo. São consideradas poiquiloídricas aquelas espécies capazes de resistir a períodos prolongados de seca, reduzindo consideravelmente o percentual de água retida nas células, cessando o metabolismo e retomando as atividades metabólicas assim que a água estiver novamente disponível no ambiente.

Família Isöetaceae
Família cosmopolita, formada por 1 gênero e aproximadamente 150 espécies. As principais características dos representantes desta família são:
- Plantas com microfilos dispostos de forma rosulada;
- Esporângios localizados em cavidades na base ventral do micrófilo;
- Hábito aquático submerso ou emergente, heterosporadas;
- Anterozóides multiflagelados;

Os representantes da família Isöetaceae são geralmente encontrados em margens de rios e córregos, lagos e ambientes sujeitos a alagamento temporário ou até mesmo permanente. Algumas espécies podem ocorrer em ambientes bem drenados.

As espécies pertencentes ao gênero Isöetes podem ser encontradas desde áreas situadas praticamente ao nível do mar até praticamente o limite da vegetação altimontana próximo dos 4.500 m de altitude (Tryon & Tryon, 1982).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.