Autoplay

quarta-feira, 17 de junho de 2015


PRÉ-CAMBRIANO





Ma 3.850 2.500 542 251
65,5
0
  ÉON Arqueano Proterozoico Fanerozóico
 ERA
Pré-Cambriano
(3.850 542 Ma)

Paleozoico

Mesozoico
Cenozoico
 PERÍODO   Permiano (299 – 251 Ma)   Cretáceo (145,5 – 65,5 Ma)   Quaternário (2,6 – 0 Ma)
  Carbonífero (359 – 299 Ma)
  Devoniano (416 – 359 Ma)   Jurássico (201,6 – 145,5 Ma)   Terciário
  Neogeno
   (23 – 2,6 Ma)
  Siluriano (444 – 416 Ma)
  Ordoviciano  (488 – 444 Ma)   Tríássico (251 – 201,6 Ma)
  Paleogeno
   (65,5 – 23 Ma)
  Cambriano (542 – 488 Ma)
 Estromatólitos
Os Estromatólitos são as evidências de vida mais comuns durante o chamado pré-Cambriano.
Formavam-se através da atividade metabólica de organismos protistas, especialmente bactérias e/ou algas azul-esverdeadas (cianofitas). Ao captarem os carbonatos existentes nos meios onde viviam, e metabolizá-los, depositavam-nos em suas membranas celulares.

Estes organismos constituíam relvas de algas, disseminadas nos fundos dos mares plataformais daquele momento geológico.
Os mais antigos estromatólitos registrados até o momento apresentam uma idade em torno de 3,5 bilhões de anos.
Estrutura estromatolítica.

Fauna de Ediacara

Ediacara é o nome de uma região da Austrália, onde ocorrem os mais antigos fósseis de metazoários (animais com células organizadas em tecidos e órgãos), do pré-cambriano, cerca de 600 milhões de anos. Desta forma, esta ocorrência fóssil está entre as mais importantes.
Por tratarem-se apenas de impressões nas rochas, pois estes animais não tinham partes resistentes (duras), tais como conchas, placas mineralizadas ou exoesqueletos, o estudo da sua morfologia é bastante difícil. Mesmo nos tempos atuais, os paleontólogos não conseguem determinar, com precisão, as afinidades filogenéticas de alguns destes fósseis.
Estes fósseis são encontrados em rochas formadas usualmente em paleoambiente de deltas, desaguando em plataformas. Nesta região, onde o encontro de águas marinhas e continentais, produz salinidade intermediária (salobra).
A Fauna de Ediacara não é exclusiva da Austrália, pois tem sido encontrada em cerca de 30 outras localidades em todo o Planeta. Inclui-se o Brasil, na região de Corumbá, Estado de Mato Grosso do Sul.
Reconheçam-se os fósseis de acordo como o número na reconstrução paleoecológica da fauna.
1. Cyclomedusa radiata;
2 Parvacorina minchami;
3. Spriggina floudersi;
4. Dickinsonia costata.



Amostra nº 01 
Filo Cnidaria
Nome: Cyclomedusa radiata
Idade: Pré-Cambriano (aprox. 600 m.a.)
Procedência: Morros de Ediacara, Austrália

Amostra nº 02
Nome: Parvancorina minchami
Idade: Pré-Cambriano (aprox. 600 m.a.)
impressão de um crustáceo? primitivo.
Procedência: Morros de Ediacara, Austrália
 


Amostra nº 03
Nome: Spriggina floundersi,
Idade: Pré-Cambriano (aprox. 600 m.a.)
molde externo de um poliqueta (anelídeo)
Procedência: Morros de Ediacara, Austrália

Amostra n° 4
Nome: Dickinsonia costata
Idade: Pré-Cambriano (aprox. 600 m.a.)
impressão de um anelídeo,
Procedência: Morros de Ediacara, Austrália

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.