Autoplay

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Reservas subterrâneas de CO2

ED. 234 | AGOSTO 2015
Email this to someoneTweet about this on TwitterShare on Google+Share on FacebookShare on LinkedIn

© LUCA GALUZZI / WWW.GALUZZI.IT
Aquíferos de desertos como o Atacama, acima, podem reter carbono
Aquíferos de desertos como o Atacama, acima, podem reter carbono.

Os aquíferos que se formam nas profundezas de desertos ao redor do mundo podem estar ajudando a estocar mais dióxido de carbono (CO2) do que a metade de todas as plantas da Terra, de acordo com pesquisadores da Corporação Universitária para Pesquisas Atmosféricas, nos Estados Unidos. Sabe-se hoje que 40% do CO2 produzido pelo ser humano por meio dos combustíveis fósseis e desmatamento permanece suspenso na atmosfera, enquanto cerca de 30% vai para os oceanos. Por muito tempo os cientistas acreditaram que os outros 30% seriam absorvidos pelas florestas. Agora se pensa que as plantas podem não sequestrar todo esse CO2 remanescente.

Uma nova pesquisa sugere que parte do carbono está se dispersando em aquíferos de desertos, que não entravam antes nas contas. Ao examinarem o fluxo de água em um deserto na China, os pesquisadores verificaram que o CO2 suspenso na atmosfera era absorvido por plantas, liberado no solo e transportado para os aquíferos no subsolo, de onde não pode escapar de volta para a atmosfera (Geophysical Research Letters, 28 de julho).

Eles acreditam que esses aquíferos estejam absorvendo 14 vezes mais CO2 do que se pensava todos os anos. Segundo eles, conhecer a localização dos reservatórios subterrâneos – que cobrem uma área do tamanho da América do Norte – poderia ajudar a aprimorar os modelos climáticos que hoje estimam os efeitos das mudanças climáticas e os cálculos sobre o estoque de carbono na Terra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.