Autoplay

domingo, 24 de julho de 2016

Descoberto na China o inseto mais longo do mundo

Bicho-pau mede 62,4 centímetros de comprimento.
Inseto em questão foi capturado pelo cientista Zhao Li.

Um bicho-pau com mais de 50 centímetros de comprimento, foi descoberto há dois anos no sul da China, é o inseto mais longo do mundo, anunciou o Museu de Insetos da China Ocidental, citado pela agência oficial Xinhua.
Bicho-pau mede 62,4 centímetros de comprimento. (Foto: Insect Museum of West China/AFP)Bicho-pau mede 62,4 centímetros de comprimento. (Foto: Insect Museum of West China/AFP)
O inseto mede 62,4 centímetros de comprimento e foi descoberto na província de Guangxi (sul). Com este tamanho, ele bateu o recorde de comprimento dos 807.625 insetos catalogados no mundo.
Até agora, o recorde pertencia a um bicho-pau malásio de 56,7 centímetros, descoberto em 2008 e que está exposto atualmente no Museu de História Natural de Londres.
O inseto em questão foi capturado por um cientista, Zhao Li, alertado pelos vizinhos sobre a presença de um animal da espessura de um dedo indicador humano e muito comprido. Ele precisou de seis anos para encontrá-lo.

"Estava caçando em uma montanha com 1.200 metros de altitude em Liuzhou, na província de Guangxi, na noite de 16 de agosto de 2014, quando percebi uma sombra que parecia um galho", explicou Zhao, citado pela Xinhua.

"Quando me aproximei, fiquei impressionado em ver que as patas deste inseto gigantesco eram tão longas quanto o seu corpo", acrescentou.
O inseto foi chamado 'Phryganistria chinensis Zhao' em homenagem ao seu descobridor.
Segundo a agência, até agora, foram descobertas mais de 3 mil variedades de fasmídeos, a mesma ordem a que pertence o bicho-pau.
Inseto em questão foi capturado pelo cientista Zhao Li (Foto: Insect Museum of West China/AFP)Inseto em questão foi capturado pelo cientista Zhao Li (Foto: Insect Museum of West China/AFP)
 
Os insetos da Ordem Phasmatodea são popularmente denominados bicho-pau, por conta da maioria deles apresentarem uma incrível similaridade com fragmentos de madeira. Comprovando a teoria evolutiva e seleção natural de Darwin, este animal se adapta de forma brilhante ao universo da natureza, dispondo de uma excelente camuflagem. Atualmente contamos com mais de 200 espécies descritas para o Brasil.




A maioria das espécies no Brasil são completamente inofensivas, permanecendo imobilizadas a maior parte do dia, com algumas exceções, como algumas espécies do gênero Paraphasma  que quando irritados expelem um líquido leitoso de odor muito forte que pode causar irritação nas vias aéreas. Muitas espécies, quando adultas possuem asas, e podem voar caso notem algum possível predador nas proximidades, para buscar outras fontes de alimento ou para procurar um parceiro. Outras, simplesmente se arremessam no chão para sair do campo de visão do predador. Estes insetos também tem a magnífica capacidade de reconstituir membros perdidos. Internamente as células se reagrupam no formato do membro perdido, e quando o inseto troca de pele, um pequeno "apêndice" é formado no lugar do membro. Até então este "apêndice" não é funcional, mas a próxima vez que o inseto trocar de pele, o processo é realizado mais uma vez, e então, é reconstituído um novo membro, com cerca de 30% do tamanho original, no qual o inseto ja consegue utilizar para se apoiar ou locomover novamente. Quanto mais jovem o inseto perde seu membro, mais ele consegue se regenerar. Por lógica, ele não é capaz de recuperar membros caso já esteja adulto, pois não trocará de pele novamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.