quinta-feira, 26 de abril de 2018

Homo sapiens in Arabia by 85,000 years ago

Received:
Accepted:
Published online:

Abstract

Understanding the timing and character of the expansion of Homo sapiens out of Africa is critical for inferring the colonization and admixture processes that underpin global population history. It has been argued that dispersal out of Africa had an early phase, particularly ~130–90 thousand years ago (ka), that reached only the East Mediterranean Levant, and a later phase, ~60–50 ka, that extended across the diverse environments of Eurasia to Sahul.

However, recent findings from East Asia and Sahul challenge this model. Here we show that H. sapiens was in the Arabian Peninsula before 85 ka. We describe the Al Wusta-1 (AW-1) intermediate phalanx from the site of Al Wusta in the Nefud desert, Saudi Arabia. AW-1 is the oldest directly dated fossil of our species outside Africa and the Levant. The palaeoenvironmental context of Al Wusta demonstrates that H. sapiens using Middle Palaeolithic stone tools dispersed into Arabia during a phase of increased precipitation driven by orbital forcing, in association with a primarily African fauna.

A Bayesian model incorporating independent chronometric age estimates indicates a chronology for Al Wusta of ~95–86 ka, which we correlate with a humid episode in the later part of Marine Isotope Stage 5 known from various regional records. Al Wusta shows that early dispersals were more spatially and temporally extensive than previously thought. Early H. sapiens dispersals out of Africa were not limited to winter rainfall-fed Levantine Mediterranean woodlands immediately adjacent to Africa, but extended deep into the semi-arid grasslands of Arabia, facilitated by periods of enhanced monsoonal rainfall.

Compreender o tempo e o caráter da expansão do Homo sapiens para fora da África é fundamental para inferir os processos de colonização e mistura que sustentam a história da população mundial. Argumentou-se que a dispersão fora da África teve uma fase inicial, particularmente ~ 130-90 mil anos atrás (ka), que atingiu apenas o Oriente Mediterrâneo, e uma fase posterior, ~ 60-50 ka, que se estendeu através dos diversos ambientes da Eurásia para Sahul.

 No entanto, descobertas recentes do Leste Asiático e Sahul desafiam este modelo. Aqui mostramos que o H. sapiens estava na Península Arábica antes de 85 ka. Descrevemos a falange intermediária Al Wusta-1 (AW-1) do local de Al Wusta no deserto de Nefud, na Arábia Saudita. AW-1 é o mais antigo fóssil datado de nossa espécie fora da África e do Levante. O contexto paleoambiental de Al Wusta demonstra que o H. sapiens usando ferramentas de pedra do Paleolítico Médio dispersou-se na Arábia durante uma fase de aumento de precipitação impulsionada pelo forçamento orbital, em associação com uma fauna primariamente africana.

 Um modelo bayesiano que incorpora estimativas de idade cronológica independentes indica uma cronologia para Al Wusta de ~ 95-86 ka, a qual correlacionamos com um episódio úmido na última parte do Estágio 5 do Isótopo Marinho, conhecido de vários registros regionais. Al Wusta mostra que as primeiras dispersões eram mais extensas espacial e temporalmente do que se pensava anteriormente. As primeiras dispersões de H. sapiens fora da África não se limitaram às florestas Mediterrâneas do Mediterrâneo levantadas pelas chuvas de inverno, imediatamente adjacentes à África, mas estendidas profundamente nas pastagens semiáridas da Arábia, facilitadas por períodos de chuvas de monções aumentadas.