sexta-feira, 29 de junho de 2018

A análise detalhada e fóssil fenomenal revela detalhes sobre mamíferos fósseis enigmáticos

Society of Vertebrate Paleontology
Os mamíferos que viveram durante a época dos dinossauros são geralmente retratados como criaturas inócuas e de pequeno porte, correndo sob os pés dos imensos répteis. Na realidade, esse não foi o caso, e um novo fóssil de Madagascar ressalta ainda mais esse ponto, revelando perspectivas fascinantes sobre a crescente diversidade de mamíferos do Mesozoico. Vintana sertich já havia sido descrito em uma nota preliminar em novembro deste ano, mas um novo livro de memórias no Journal of Vertebrate Paleontology mergulha muito mais profundamente na morfologia e paleoecologia deste incrível animal fóssil. O livro de memórias reúne vários especialistas para conduzir uma série de análises descritivas e comparativas e consiste em vários artigos descrevendo o cenário geológico do fóssil, sua anatomia craniana, sua morfologia e função dentárias, sua caixa craniana e suas habilidades sensoriais.

David W. Krause, da Stony Brook University, editor do volume e principal investigador do projeto, diz: "Do ponto de vista organizacional, há duas coisas sobre essa monografia com as quais estou particularmente satisfeito. Primeiro, tive a sorte de ser capaz de montar uma mistura excepcionalmente capaz de especialistas, estudantes e técnicos para focar sua atenção neste incrível espécime, em segundo lugar, a ênfase na imagiologia de micro-TC, e as milhares de horas gastas na segmentação digital de cada elemento craniano, foi fundamental para nos permitir descrever e compreender a anatomia interna detalhada do crânio deste mamífero bizarro ".

Vintana é um membro de um grupo de mamíferos extinto e, até agora, muito pouco conhecido, os gondwanatherians, que são nomeados com base em sua distribuição geográfica nos continentes do sul, também conhecida como Gondwana. Os fósseis de gondwanatherians anteriormente conhecidos consistiram apenas em dentes isolados e alguns espécimes fragmentários de mandíbula inferior. O novo espécime é um crânio quase completo e apenas ligeiramente distorcido, que foi meticulosamente removido de um grande bloco de sedimento e, posteriormente, micro-tomografia computadorizada para fornecer detalhes finos da anatomia externa e interna do animal. Esses exames também permitiam que os pesquisadores separassem digitalmente ou segmentassem os ossos cranianos individuais e permitissem que eles dissecassem virtualmente o espécime sem realmente destruí-lo. Esses escaneamentos de alta resolução também permitiram que os autores incluíssem no livro de memórias, como material suplementar, PDFs 3D interativos e imagens de alta resolução.

Krause says, "We hope that the memoir will serve as a useful reference for all future discoveries and analyses of gondwanatherian mammals represented by craniodental material."

The cranium displays some bizarre features, like enlarged flanges for attachment of chewing muscles, a strangely tilted braincase, and large eye sockets. Analysis of these features and others reveals that Vintana was a badger-sized, herbivorous animal that was agile and active, with keen senses of smell, vision, and hearing.

John Wible, of the Carnegie Museum in Pittsburgh and one of the experts on the investigation who analyzed the skull and ear region of the fossil, says "With this monograph, the shroud of mystery over the enigmatic, extinct mammal clade Gondwanatheria is lifted. Through CT scans, the amazingly preserved skull of Vintana sertich is dissected, described, and reconstructed. The authors breathe life into this fossil by reconstructing its brain, inner ear, jaw musculature, orbit, and nasal cavity, and set the bar high for how such studies will be done in the future."
###
ABOUT THE SOCIETY OF VERTEBRATE PALEONTOLOGY
 
Founded in 1940 by thirty-four paleontologists, the Society now has more than 2,300 members representing professionals, students, artists, preparators, and others interested in vertebrate paleontology. It is organized exclusively for educational and scientific purposes, with the object of advancing the science of vertebrate paleontology.

JOURNAL OF VERTEBRATE PALEONTOLOGY
The Journal of Vertebrate Paleontology (JVP) is the leading journal of professional vertebrate paleontology and the flagship publication of the Society. It was founded in 1980 by Dr. Jiri Zidek and publishes contributions on all aspects of vertebrate paleontology.

CITATION:
Krause, D. W 2014. Vintana sertich (Mammalia, Gondwanatheria) from the Late Cretaceous of Madagascar. Journal of Vertebrate Paleontology 34(6) Supplement. Society of Vertebrate Paleontology Memoir 14. 222 pages.

AUTHOR CONTACT INFORMATION

David W. Krause
Distinguished Service Professor
Department of Anatomical Sciences
Stony Brook University
Stony Brook, NY 11794-8081
Telephone: 631-444-3117
Fax: 631-444-3947
http://www.anat.stonybrook.edu/dkrause
 
OTHER EXPERTS NOT ASSOCIATED WITH STUDY WHO MAY BE REACHED FOR COMMENT:
Guillermo Rougier
University of Louisville
guillermo.rougier@louisville.edu

Zhe-Xi Luo
University of Chicago
xluo@uchicago.edu

Anne Weil
Oklahoma State University
anne.weil@okstate.edu