Autoplay

quarta-feira, 13 de maio de 2015

A explosão Cambriana

Há cerca de 530 milhões de anos, um vasta variedade de animais apareceu repentinamente no cenário evolutivo em um evento denominado A Explosão Cambriana. Em possivelmente mais ou menos 10 milhões de anos, animais marinhos evoluíram a maioria dos formatos básicos de corpo que vemos hoje em grupos modernos. Entre os organismos preservados em fósseis desse tempo há parentes de crustáceos e estrelas-do-mar, esponjas, moluscos, vermes, cordados e algas, exemplificados por esse táxon do Xistos de Burgess.
Uma "Explosão"? O termo “explosão” pode ser um pouco inadequado. A vida Cambriana não se desenvolveu num piscar de olhos, ela foi precedida por muitos milhões de anos de evolução e muito do filo dos animais na verdade divergiram-se durante o Pré Cambriano. Os animais do Cambriano não apareceram do nada. Fósseis animais de antes do Cambriano foram encontrados. Há mais ou menos 575 milhões de anos, um estranho grupo de animais conhecido como fauna de Ediacara viveu nos oceanos. Apesar de não sabermos muito sobre a fauna de Ediacara, pode ser que nos ancestrais das linhagens que identificamos da explosão Cambriana houvessem alguns desses animais. Divergência importante ocorreu no Pré-cambrianoDivergência importante ocorreu no pré Cambriano1.

Ediacarans enigmática: fósseis pré-cambrianas que são difíceis de classificar
Explore mais
•  Desencadeando a Radiação Adaptativa
•  Estudo de caso: por que tantos besouros?
•  Extincões em massa


1After Wang, D.Y.-C., Kumar, S. & Hedges, S.B. (1999) Divergence time estimates for the early history of animal phyla and the origin of plants, animals and fungi. Proceedings of the Royal Society of London: Biological Sciences 266, no. 1415 (1999): 163

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.