Autoplay

quinta-feira, 15 de setembro de 2016



                Solventes
Autora: Amanda Luiza Fávero - 9º A - E.E. Ignácio Zurita Júnior



De onde veio? 

Os solventes começam a ser utilizados como droga de abuso por volta de 1960 nos Estados Unidos. No Brasil, o uso de solventes aparece no período de 1965-1970.
O clorofórmio e o éter chegaram a servir como drogas de abuso em outros tempos e depois seu uso foi praticamente abandonado.
O hábito voltou com os lança-perfumes trazidos da Argentina. O clorofórmio é conhecido desde 1847 como anestésicos, mas foi abandonado porque surgiram outros mais eficientes e seguros.
Assim também ocorreu com o éter. Há referências ao abuso do éter como substituto do álcool durante a Segunda Guerra Mundial na Alemanha.
Por volta de 1960, os lança-perfumes, que eram feitos de Cloreto de Etila, começaram a ser aspirados para dar sensação de torpor, tontura e euforia. O Quelene, anestésico local, formava par com o lança-perfume e era empregado fora das épocas de carnaval, quando a disponibilidade dos lança-perfumes era menor.
Por volta de 1965, o governo brasileiro proibiu a fabricação dos lança-perfumes e do Quelene. Contudo, começou a surgir referências ao retorno do uso de lança-perfumes, só que como um produto à base de clorofórmio e éter.

O que é?

Líquidos que evaporam e são inalados, estão presentes em esmaltes de unha, cola de sapateiro, removedores de tinta, lança-perfume, loló, acetona, etc.
A pessoa fica eufórica, agitada, com tonturas e perturbações auditivas e visuais. Podem aparecer também náuseas, espirros, tosse, salivação intensa e o rosto fica vermelho.
Como é usada?
O uso destas drogas de forma abusiva é feito através da introdução da droga em sacos plásticos, isto para os solventes de colas, esmaltes e vernizes, ou aspirando-se produtos puros colocados em lenços ou trapos. Os inalantes também são colocados em lenços ou trapos e inalados, levando-se diretamente à boca e ao nariz. Os efeitos sentidos pelo usuário são rápidos e bastante fortes; demoram a fazer efeito apenas alguns segundos e os estes efeitos duram de 15 a 60 minutos, dependendo do produto, da sua pureza e da quantidade usada.
Efeitos adversos
Convulsões, ataque cardíaco e o contato com o líquido pode causar queimaduras na pele e no interior dos órgãos (boca, língua, traqueia).

Status
Ilícitas ou de uso indevido (no caso de produtos comerciais que contem solventes).

Pelo o que pode ser substituída?
Pelo lança-perfume, cola e loló.

Definição
Em geral, todo solvente é uma substância altamente volátil, ou seja, evapora-se naturalmente, por esse motivo pode ser facilmente inalado. Constituem-se por substâncias capazes de dissolver coisas e que pode ser aspirada pelo nariz ou pela boca. Outra característica dos solventes ou inalantes é que muitos deles (mas não todos) são inflamáveis.

Efeitos procurados
Como os solventes e inalantes são drogas depressoras do Sistema Nervoso Central, seu uso repetido causa ao usuário inicialmente uma estimulação, seguida de sedação, tontura, como, aquela sentida na embriaguez alcoólica, relaxamento muscular e bem estar. Didaticamente, a primeira fase é a da excitação.
Nela o usuário fica excitado, estimulado, agitado, com vontade de fazer tudo o que lhe vier à cabeça. Podem aparecer também nesta primeira fase, tonturas, vertigens, perturbações visuais, táteis e auditivas, que podem se transformar em alucinações, se o consumo de drogas for intenso, seguidas de enjoos, náusea, tosse, espirros e excessiva salivação.
Na fase seguinte com o uso destas substâncias aparece a depressão que, inicialmente, é caracterizada pelo aparecimento de desorientação, confusão mental, perda do autocontrole, palidez, voz pastosa. A depressão vai se aprofundando, e todos estes sintomas vão se tornando mais fortes, e o usuário perde a maioria dos reflexos, parecendo estar totalmente embriagado. No final do uso dos solventes e inalantes, o usuário entra em depressão tardia, chegando mesmo à inconsciência, queda de pressão, surtos e convulsões.
Muitas vezes o usuário não tem nem força para afastar o saco plástico ou trapo do nariz e da boca, continuando a inalar o produto, se intoxicando até a morte. A causa desta morte súbita é um ataque do coração, e é chamada de “síndrome da morte súbita por inalação”.
Efeitos no Organismo

Os efeitos dessas substâncias nas pessoas são, inicialmente, um estado de euforia e desinibição. Em seguida, o estado se altera, ficando a pessoa deprimida, confusa e desorientada, podendo ter alucinações auditivas e visuais. 

O uso abusivo dessas substâncias gera lesões nos:

• Neurônios cerebrais;

• Nervos periféricos;
• Fígado;

• Rins;

• Medula óssea;

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.