Autoplay

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Os 25 anos do Telescópio Espacial Hubble



Orbitando sobre
nossas cabeças, o Telescópio Espacial Hubble é uma das missões científicas mais
bem-sucedidas de todos os tempos. Lançado no espaço em 24 de abril de 1990, o Hubble chega aos 25 anos de serviço com
um histórico memorável: são centenas de milhares de imagens que contribuíram
para que alargássemos nossa compreensão sobre partes do universo nunca antes
vistas.



O telescópio tem
nome de peso. Edwin Powell Hubble (1989-1953) foi um astrônomo estadunidense que,
ao estudar a luz emitida por galáxias distantes, identificou um desvio para o
vermelho (redshift), fator que indica
afastamento. Com base em tais observações, foi postulada a lei de Hubble, a
partir da qual se conclui: o universo está em expansão.



Assista a um vídeo
sobre Edwin Powell Hubble: https://www.youtube.com/watch?v=N5uZyW9-wms



O Telescópio Espacial Hubble foi lançado em órbita da Terra pela Nasa, a agência espacial norte-americana, a bordo do ônibus espacial Discovery. O telescópio viaja a uma
velocidade de 8 km/s e é capaz de dar uma volta
completa ao redor do nosso planeta em 97 minutos. Ao descrever sua trajetória, o Hubble
captura luz de diversos cantos do universo e a redireciona para seus
instrumentos científicos. Apesar de não ser o maior telescópio espacial
existente, a localização do Hubble, acima da atmosfera, é o que confere
incrível clareza às suas imagens.Quatro antenas são
responsáveis pelo envio dos dados coletados pelo telescópio para uma equipe de
controladores situada no Goddard Space Flight Center, da Nasa. Uma vez que os
dados são processados e arquivados, astrônomos do mundo inteiro podem fazer o download dessas informações pela
internet para análise. Logo após o
telescópio entrar em órbita, uma anomalia foi percebida nas imagens que ele
estava enviando à Terra. As imagens, apesar de melhores que as dos telescópios
localizados no chão, estavam borradas. Um dos espelhos, polidos com tanto
esmero, apresentou uma falha que ficou conhecida como ‘aberração esférica’.



Cientistas e
engenheiros trabalharam rapidamente na busca por uma solução, e ela veio. Uma
série de pequenos espelhos, corretamente posicionados, iria conduzir a luz
capturada ao caminho correto. Após 11 meses de treinamento, uma equipe composta
por sete astronautas foi ao encontro do telescópio para reparar a falha, em
1993.Depois da correção da ‘aberração’, o Hubble ainda passou por outros
reparos, adição ou troca de instrumentos científicos. Uma dessas missões de
reparo foi filmada e virou o filme Hubble
3D, produção exibida nos cinemas Imax.



Assista a um
trailer do filme: https://www.youtube.com/watch?v=hx0d4PQ616g



Em seus 25 anos, o
Hubble surpreendeu gerações de cientistas. Os dados obtidos com seu auxílio
renderam milhares de artigos científicos e uma nova concepção sobre partes do
universo que antes eram desconhecidas. Foram observadas milhões de novas
galáxias, supernovas, planetas fora do Sistema Solar e processos estelares que
nos deram as mais belas imagens do universo até então.A imagem acima mostra uma visão panorâmica capturada pelo Hubble da 
galáxia de Andrômeda. (foto: Nasa Goddard Space Flight Center/ Flickr – 
CC BY 2.0)Imagem capturada pelo telescópio Hubble de uma estrela prestes a explodir. (foto: Nasa Goddard Space Flight Center/ Flickr – CC BY 2.0)Agora o telescópio
está prestes a se aposentar. Suas peças se degradarão até a impossibilidade
total de uso, porém seu legado não desaparecerá tão cedo.



Enquanto o ilustre
aniversariante dá seus acordes finais, seu substituto, o Telescópio Espacial
James Webb, já tem data prevista para realizar sua estreia: outubro de 2018.
Até lá – e ainda depois disso –, cientistas do mundo todo continuarão
utilizando as informações provenientes do Hubble em suas pesquisas
astronômicas.



Saiba mais sobre a
história do Telescópio Espacial Hubble e as comemorações de seus 25 anos:
http://hubble25th.org/



Leia o texto que a
CHC preparou sobre essa data histórica: http://chc.cienciahoje.uol.com.br/parabens-pra-voce-2/



Confira abaixo
textos publicados na CH On-line sobre o Hubble e outros telescópios:



Imagem captada pelo telescópio Hubble mostra galáxias mais antigas
já avistadas: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/astronomia-e-exploracao-espacial/janela-para-os-primordios-do-universo/ 



Nova imagem ultraprofunda do universo obtida pelo telescópio espacial
Hubble inclui pela primeira vez a radiação ultravioleta e abre portas para
maior compreensão do processo de formação das galáxias: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2014/06/profundidade-ampliada/



Telescópios da Nasa registram imagens de sistemas planetários em
formação: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/astronomia-e-exploracao-espacial/eu-sou-voce-amanha/ 



Verdadeiras joias jazem inéditas nos confins do acervo de imagens do
telescópio Hubble: http://cienciahoje.uol.com.br/blogues/bussola/2012/04/caca-ao-tesouro…-no-espaco/ 



Cientistas observam pela primeira vez a atmosfera de um exoplaneta de
pequeno porte e encontram vapor d’água. Pesquisa representa avanço na busca por
planetas semelhantes à Terra: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2014/11/ceu-limpo/ 



Astrofísico encontra carta do astrônomo belga Lemaître que desmente a
hipótese de que Hubble teria conspirado para levar o crédito pela primeira medição da taxa de
expansão do universo: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2011/11/hubble-absolvido/ 



Maior telescópio espacial do mundo começa a registrar imagens do cosmos
com grande nitidez: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/astronomia-e-exploracao-espacial/o-universo-como-ninguem-nunca-viu/ 



Novo telescópio espacial da Nasa capta imagens do cosmos com raios
infravermelhos: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/astronomia-e-exploracao-espacial/o-universo-como-voce-nunca-viu/ 



Telescópios modernos ajudam a entender explosões de estrelas relatadas
por Kepler e Tycho Brahe: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/astronomia-e-exploracao-espacial/supernovas-observadas-ha-400-anos-ainda-intrigam/ 



Em registro importante de sua nova missão após a quebra de 2013,
telescópio espacial Kepler detecta planeta semelhante à Terra em sistema
estelar a apenas 150 anos-luz daqui, possível de ser estudado com nossos
equipamentos atuais: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2015/01/novos-vizinhos-espaciais/ 



O maior e mais potente telescópio do mundo será construído a 3 mil metros
de atitude, no deserto do Atacama (Chile). Com o equipamento, pesquisadores
esperam obter imagens diretas de exoplanetas e observar o surgimento e a
expansão do universo: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2012/01/visao-alem-do-alcance/ 



Projeto da Agência Espacial Europeia que realizará ‘recenseamento’ na Via
Láctea pretende identificar milhões de novos astros e gerar conhecimentos sobre
a estrutura e a história da galáxia, a composição e a luminosidade das estrelas
e até sobre a matéria escura: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2013/08/uma-revolucao-nas-estrelas/ 



Em entrevista à CH On-line, astrofísica da Nasa fala sobre o estudo da
estrutura e a evolução das galáxias e destaca a importância de atuar na
divulgação científica no Brasil: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2014/06/brasileira-das-estrelas/Leia mais sobre exploração espacial na Ciência Hoje On-line.
Os 25 anos do Telescópio Espacial Hubble

Orbitando sobre nossas cabeças, o Telescópio Espacial Hubble é uma das missões científicas mais bem-sucedidas de todos os tempos. Lançado no espaço em 24 de abril de 1990, o Hubble chega aos 25 anos de serviço com um histórico memorável: são centenas de milhares de imagens que contribuíram para que alargássemos nossa compreensão sobre partes do universo nunca antes vistas.
O telescópio tem nome de peso. Edwin Powell Hubble (1989-1953) foi um astrônomo estadunidense que, ao estudar a luz emitida por galáxias distantes, identificou um desvio para o vermelho (redshift), fator que indica afastamento. Com base em tais observações, foi postulada a lei de Hubble, a partir da qual se conclui: o universo está em expansão.

Assista a um vídeo sobre Edwin Powell Hubble: https://www.youtube.com/watch?v=N5uZyW9-wms
O Telescópio Espacial Hubble foi lançado em órbita da Terra pela Nasa, a agência espacial norte-americana, a bordo do ônibus espacial Discovery. O telescópio viaja a uma velocidade de 8 km/s e é capaz de dar uma volta completa ao redor do nosso planeta em 97 minutos. Ao descrever sua trajetória, o Hubble captura luz de diversos cantos do universo e a redireciona para seus instrumentos científicos. Apesar de não ser o maior telescópio espacial existente, a localização do Hubble, acima da atmosfera, é o que confere incrível clareza às suas imagens.
image
Quatro antenas são responsáveis pelo envio dos dados coletados pelo telescópio para uma equipe de controladores situada no Goddard Space Flight Center, da Nasa. Uma vez que os dados são processados e arquivados, astrônomos do mundo inteiro podem fazer o download dessas informações pela internet para análise.
image
Logo após o telescópio entrar em órbita, uma anomalia foi percebida nas imagens que ele estava enviando à Terra. As imagens, apesar de melhores que as dos telescópios localizados no chão, estavam borradas. Um dos espelhos, polidos com tanto esmero, apresentou uma falha que ficou conhecida como ‘aberração esférica’.

Cientistas e engenheiros trabalharam rapidamente na busca por uma solução, e ela veio. Uma série de pequenos espelhos, corretamente posicionados, iria conduzir a luz capturada ao caminho correto. Após 11 meses de treinamento, uma equipe composta por sete astronautas foi ao encontro do telescópio para reparar a falha, em 1993.
image
Depois da correção da ‘aberração’, o Hubble ainda passou por outros reparos, adição ou troca de instrumentos científicos. Uma dessas missões de reparo foi filmada e virou o filme Hubble 3D, produção exibida nos cinemas Imax.
Assista a um trailer do filme: https://www.youtube.com/watch?v=hx0d4PQ616g
Em seus 25 anos, o Hubble surpreendeu gerações de cientistas. Os dados obtidos com seu auxílio renderam milhares de artigos científicos e uma nova concepção sobre partes do universo que antes eram desconhecidas. Foram observadas milhões de novas galáxias, supernovas, planetas fora do Sistema Solar e processos estelares que nos deram as mais belas imagens do universo até então.
image
A imagem acima mostra uma visão panorâmica capturada pelo Hubble da galáxia de Andrômeda. (foto: Nasa Goddard Space Flight Center/ Flickr – CC BY 2.0)
image
Imagem capturada pelo telescópio Hubble de uma estrela prestes a explodir. (foto: Nasa Goddard Space Flight Center/ Flickr – CC BY 2.0)

Agora o telescópio está prestes a se aposentar. Suas peças se degradarão até a impossibilidade total de uso, porém seu legado não desaparecerá tão cedo.
Enquanto o ilustre aniversariante dá seus acordes finais, seu substituto, o Telescópio Espacial James Webb, já tem data prevista para realizar sua estreia: outubro de 2018. Até lá – e ainda depois disso –, cientistas do mundo todo continuarão utilizando as informações provenientes do Hubble em suas pesquisas astronômicas.
Saiba mais sobre a história do Telescópio Espacial Hubble e as comemorações de seus 25 anos:
http://hubble25th.org/
Leia o texto que a CHC preparou sobre essa data histórica: http://chc.cienciahoje.uol.com.br/parabens-pra-voce-2/

Confira abaixo textos publicados na CH On-line sobre o Hubble e outros telescópios:
Imagem captada pelo telescópio Hubble mostra galáxias mais antigas já avistadas: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/astronomia-e-exploracao-espacial/janela-para-os-primordios-do-universo/
 
Nova imagem ultraprofunda do universo obtida pelo telescópio espacial Hubble inclui pela primeira vez a radiação ultravioleta e abre portas para maior compreensão do processo de formação das galáxias: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2014/06/profundidade-ampliada/

Telescópios da Nasa registram imagens de sistemas planetários em formação: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/astronomia-e-exploracao-espacial/eu-sou-voce-amanha/
 
Verdadeiras joias jazem inéditas nos confins do acervo de imagens do telescópio Hubble: http://cienciahoje.uol.com.br/blogues/bussola/2012/04/caca-ao-tesouro…-no-espaco/
 
Cientistas observam pela primeira vez a atmosfera de um exoplaneta de pequeno porte e encontram vapor d’água. Pesquisa representa avanço na busca por planetas semelhantes à Terra: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2014/11/ceu-limpo/
 
Astrofísico encontra carta do astrônomo belga Lemaître que desmente a hipótese de que Hubble teria conspirado para levar o crédito pela primeira medição da taxa de expansão do universo: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2011/11/hubble-absolvido/
Maior telescópio espacial do mundo começa a registrar imagens do cosmos com grande nitidez: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/astronomia-e-exploracao-espacial/o-universo-como-ninguem-nunca-viu/
Novo telescópio espacial da Nasa capta imagens do cosmos com raios infravermelhos: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/astronomia-e-exploracao-espacial/o-universo-como-voce-nunca-viu/
Telescópios modernos ajudam a entender explosões de estrelas relatadas por Kepler e Tycho Brahe: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/astronomia-e-exploracao-espacial/supernovas-observadas-ha-400-anos-ainda-intrigam/
 
Em registro importante de sua nova missão após a quebra de 2013, telescópio espacial Kepler detecta planeta semelhante à Terra em sistema estelar a apenas 150 anos-luz daqui, possível de ser estudado com nossos equipamentos atuais: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2015/01/novos-vizinhos-espaciais/
O maior e mais potente telescópio do mundo será construído a 3 mil metros de atitude, no deserto do Atacama (Chile). Com o equipamento, pesquisadores esperam obter imagens diretas de exoplanetas e observar o surgimento e a expansão do universo: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2012/01/visao-alem-do-alcance/
 
Projeto da Agência Espacial Europeia que realizará ‘recenseamento’ na Via Láctea pretende identificar milhões de novos astros e gerar conhecimentos sobre a estrutura e a história da galáxia, a composição e a luminosidade das estrelas e até sobre a matéria escura: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2013/08/uma-revolucao-nas-estrelas/
 
Em entrevista à CH On-line, astrofísica da Nasa fala sobre o estudo da estrutura e a evolução das galáxias e destaca a importância de atuar na divulgação científica no Brasil: http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2014/06/brasileira-das-estrelas/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.